quinta-feira, 22 de abril de 2010

Sol em Alta Definição



A Nasa acaba de divulgar as primeiras imagens do Sol feitas pelo satélite SDO (Solar Dynamics Observatory), com uma resolução dez vezes maior do que a das melhores TVs de alta definição disponíveis no mercado. O SDO, lançado em 11 de fevereiro, é o instrumento mais moderno já desenvolvido para o estudo da nossa estrela mãe, o Sol.
Digo “estrela mãe” porque, sem ela, a gente realmente não existiria … não no sentido astrológico da coisa, mas no sentido físico-químico-biológico mesmo. Sem a energia do Sol para fazer fotossíntese, não haveria plantas. Sem as plantas, não haveria animais herbívoros. Sem os herbívoros, não haveria carnívoros. Nem onívoros. Consequentemente, não haveria seres humanos. Na melhor das hipóteses, a vida na Terra estaria confinada às profundezas do oceano, onde a luz não chega nunca e os micróbios se alimentam diretamente de compostos químicos que “vazam” por fendas e chaminés do interior do planeta. Aí tem os crustáceos e vermes que se alimentam desses micróbios, e os peixes e polvos que se alimentam desses crustáceos e vermes, e assim por diante … lá no fundo ninguém precisa de luz.

Mas nós, aqui em cima, precisamos sim, e MUITO! Então, quanto mais pudermos aprender sobre o Sol, melhor — apesar de não termos absolutamente nenhuma influência sobre o funcionamento dele.

Vale sempre lembrar que o Sol é uma gigantesca bola de gás, em que átomos de hidrogênio são fundidos pela força da gravidade, produzindo átomos de hélio e liberando gigantescas quantidades de energia no processo (fusão atômica). Na foto acima, as cores representam diferentes temperaturas de gases medidas pelos instrumentos do SDO, no espectro do ultravioleta extremo. As partes mais avermelhadas estão a 10 mil graus Celsius e as partes mais verdes e azuis, a 100 mil graus Celsius.
A foto abaixo, feita no espectro visível por um outro instrumento da Nasa, chamado STEREO, mostra uma monstruosa erupção solar — uma “língua” ejetada de plasma que se projeta no espaço por centenas de milhares de quilômetros. Só esse arco já é muito maior do que a Terra. Muito mesmo! Se a Terra fosse colocada sobre o Sol, seria como a cabeça de alfinete espetado sobre uma bola de futebol. Imagine só!
Fonte : (Jornal O Estado de São Paulo)

Abraços a todos.

Um comentário:

  1. Muito interassante! Adorei!
    As imagens são lindas, fantásticas...

    ResponderExcluir